Fazenda Pinhal, dia 1

*Ao som de Milton ♥

Queridos,

Como falei aqui, passei uma semaninha (curta demais!) na nossa fazenda em Minas. Eu fui sedenta por descanso, por não ter compromissos e por tirar fotos, já que tinha constatado que aqui em casa não havia fotos da fazenda (a mais recente era de quando eu era criancinha, um absurdo!).

Como eu ando meio aflita para guardar coisas especiais em fotografia, tirei um número nada razoável de fotos de lá para guardar para as futuras gerações :) Por isso, acho que vou fazer um post para cada dia que passamos lá (incluindo os passeios – fomos em outra fazenda comer pato e visitamos meus avós em Varginha) e depois, em outro post, mostrar mais da casa.

Depois de sete horas de viagem, chegamos à fazenda no entardecer, já estava escurecendo e a Dedê, que trabalha lá, estava esperando a gente com pães de queijo e o jantar quase pronto!

Como já estava escurecendo, nós só jantamos, vimos novela (aqui em casa somos todos noveleiros, com exceção do meu irmão) e fomos dormir.

No dia seguinte, acordamos e demos de cara com os cachorros da fazenda na porta de casa, esperando a gente acordar. Engraçado como cachorro de fazenda é carente, né? A Tita, que mora aqui no Rio com a gente, é super blasé, mas os seis (6!!) cachorros da fazenda eram todos uns bobões que pediam cafuné a cada dois segundos.

São três cachorros grandes, dois pastores alemães – o Wolf, que vai aparecer em mais um milhão de fotos, e a Helga – e um que é outro tipo de pastor, o Loco Abreu, cujo nome, apesar de ser uma homenagem a esse moço aqui, é super apropriado já que ele é realmente meio maluquinho.

Além desses, têm mais três pinchers, a Lola, a Baby e a Chanel (que eu apelidei de Chayzinha, por causa da novela das 7. hehe).

Depois de tomarmos café da manhã, com pão caseiro fresquinho feito pela Dedê ♥, resolvemos dar uma volta para conhecermos um pouco das novidades da fazenda.

O primeiro lugar que visitamos foi o curral de bezerrinhos. Eles são separados por faixa etária e nós vimos os de até 2 meses e os de 2 a 4 meses.

Achei engraçado esse gatinho dormindo na porta do curral. Acho que ele acha que toma conta dos bezerrinhos, porque ele fica rondando eles com ar de guardião.

Todos eles têm esse brinco com a data de nascimento – esses dois tinham mais ou menos um mês de idade.

Esse deitadinho é um recém-nascido (ainda tem hífen?), muito lindinho, né? Fiquei impressionada com o tamanho, que é quase um cachorro de grande porte. Conversando com a funcionária que cuida dos bezerrinhos, descobri que uma vaca come, em média, 40 kg de comida por dia! Fiquei chocada.

A Bel, que já tinha experiência com bezerrinhos – ela ganhou um super beijo de um quando tinha uns 3 anos – pegou intimidade super rápido com eles :)

Eles são muito lindinhos. No início são assustados, mas, depois que acostumam com sua presença, ficam super dóceis!

Perto do curral, achei chuchus! Não podia deixar de fotografar, já que meu apelido por séééculos foi xuxu (ainda é, para alguns).

Depois de ver os nenéns, fomos para o terreiro de café, onde o café seca depois de ser colhido.

Perto do terreiro, encontrei vários raminhos de dente-de-leão, uma das minhas flores favoritas :)

Depois disso, voltamos para a casa para almoçar.

Esse é um trechinho da estrada que entra na fazenda, passa pelo terreiro, e vai até a casa principal, não é lindo?

Bem, o que dizer sobre os almoços na fazenda? Acho que foi minha hora preferida do dia, hahaha. Comida mineira já é uma delícia, a da Dedê, então…

Se existe um céu, é isso que eles comem por lá. :)

De sobremesa, pé-de-moleque feito pela minha madrinha ♥ (tia, coloquei uma lembrancinha no correio, deve chegar já!) e doce de figo em calda.

Enquanto nós almoçamos, eles também almoçaram:

Depois do almoço, Claris, Leo e Wolf resolveram descansar na varanda,

e eu fiquei pelo jardim, tomando um solzinho para esquentar.

Logo depois, a Bel começou a me convencer a andar a cavalo com ela e minha mãe.

Então lá fui eu, tentar ignorar o fato de cavalos são gigantes e altos e fortes e podem me matar a qualquer momento :)

(são lindos, também, né?)

Conclusão: eu cheguei a montar, mas morri de medo quando ele deu um passo para trás e decidi que ninguém precisa superar esse medo, especificamente. hahaha

Em vez disso, saí para tirar fotos ♥ e, quando voltei, já estava anoitecendo e era hora de se preparar para o frio glacial que fazia à noite.

Com três camadas de pijama, nós jantamos, jogamos conversa fora, vimos tv e fomos dormir :)

Espero que vocês tenham gostado, amanhã tem mais!

7 thoughts on “Fazenda Pinhal, dia 1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s